quinta-feira, agosto 31, 2006

Transmissão

Sugerimos nessa semana um texto de psicologia budista(clique aqui) onde o Thay descreve a transmissão das sementes da consciência armazenadora de geração a geração.

Ele nos mostra que a maneira de preservarmos nossos filhos e as futuras gerações é cuidar de nós aqui e agora.

Essa consciência também nos ajuda a nos reconciliar com nossos antepassados.
Um excelente texto!

Para ler as notícias da semana clique aqui.

Para obter o texto clique aqui

4 comentários:

Leo disse...

Vejo várias sementes dos meus antepassados em mim e várias não gosto. Percebopelo texto que eu sou eles e não adianta culpá-los. Tenho que concentrar meus esforços, minha energia na minha trasformação para que eu não transmita a meus filhos o que recebi e me faz sofrer.

Rodrigo Engelberg Ramos disse...

Acredito que o importante seja buscarmos a paz, amor, soliedariedade e manifestações de carinho através de ações do dia-a-dia, semeando cada vez mais energias positivas em nós e nas pessoas que estão ao nosso redor. Reconhecendo, ou tentando reconhecer, onde estão nossas sementes inatas, sejam elas para alegria ou sofrimento. Um processo lento e demorado de evolução constante.

Shirley disse...

Este texto é profundo demais. Como reconciliar-me com meus pais? Se sou eles e não desejo sê-lo? Muito complexo isso...

No mais, a parte que fala da responsabilidade com os nossos filhos, achei importantíssima. Sempre pensei que ter um filho não é brincadeira. É uma missão nobre e importante. É preciso estar preparado e com convicção de que é isto que se quer.

Leo disse...

Shirley,

Se vc não quer ser igual a eles, tem que se transformar. As sementes estão adormecidas, se vc não rega-las elas não se manifestarão e enfraquecerão. Mas lembre-se que a herança e forte e você poderá se ver muitas vezes através dos seus pais, seja nas caracteristicas que vc se orgulha, seja não que vc não gosta muito.