quarta-feira, abril 27, 2011

Qual o seu verdadeiro nome?

Qual o seu verdadeiro nome? Você consegue ver a barreira que separa você dos demais seres? Onde termina o "você" e começa o "outro"? Será que você é totalmente independente daquilo que você chama de "o outro"?

No texto dessa semana (clique aqui) Thich Nhat Hanh de uma forma poética e forte abre nosso coração para entendermos que eu e outro na verdade somos um só. Essa visão abre nossa mente para novas possibilidades de ação no mundo, ele abre as portas do coração, as portas da compaixão. Esse texto é baseado no poema abaixo "Por favor me chame pelos meus verdadeiros nomes", que na minha opinião é um dos mais bonitos do Thay.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

Um comentário:

Um principiante, apenas isso. disse...

Realmente esse poema do Thay é belíssimo e também muito profundo. A interdependência e a unidade entre os seres expressas em poesia.

Thay não é apenas um magnífico instrutor, mas um verdadeiro buda vivo. Seus ensinamentos não estão restritos a livros e palestras; cada gesto, cada movimento seu está cheio de presença, harmonia, amor, compaixão.

É um privilégio sermos seus contemporâneos nessa existência. Desfrutemos, pois, dessa benção.