quarta-feira, março 25, 2009

Reconciliação

Você tem algum problema com seus pais? Guarda alguma mágoa pelo que eles fizeram ou não no passado? O texto (clique aqui) fala sobre reconciliação, em particular a reconciliação com nossos ancestrais.

Thay ensina que somos a continuação dos nossos pais; nós somos nossos pais. O único caminho é buscar reconciliação conosco mesmo e com os nossos pais internos. Não há outra maneira. Fomos vítimas de comportamentos negativos, sementes negativas, mas através da prática profunda, percebemos que a outra pessoa, nossos pais, podem também ser vítimas da transmissão dessa semente. Quando você vê seus pais como vítimas da transmissão, sua raiva desaparece.

Quando olhamos para todos os seres com esses olhos paramos de culpar e julgar. Passamos a querer ajudar a transformar. Leia, reconcilie e depois divida sua experiência sobre o texto (clique aqui) em nosso blog.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

3 comentários:

leo disse...

Nunca entendi porque meu pai tratava minha mãe de um modo grosseiro e sempre fazendo pouco dela. Até que vi que tinha essas sementes e de certa forma fazia pouco da falta de meória de minha esposa tb. Pude olhar para trás e ver que meu avô tb era assim. Pude perdoar meu pai, e passei a usar minha energia para me transformar de forma que meu filho não continue essa triste semente.

Acho que melhorei, mas sei que há muito que praticar.

Mirse disse...

Leonardo, suas mensagens são sempre o que há de bom neste mundo. Amei com todo o meu amor, que dizem ser exagerado, a meus pais. Acompanhei-os durante toada aviad. Nunca havia entendido o porque de ter sido colocada num colégio interno, indo para casa apenas no Natal. E aos quatro anos de idade. Senti-me abandonada, como eu sentia a falta da minha mãe. enfim não entendia.
Durante toda a vida busquei esse amor. Não tive, mas dei o máximo de mim e durante 13 anos vivi em função deles, devido às doenças que tiveram na velhice.
Não guardo mágoa de nada, mas essa busca pelo amor da minha mãe, ficou.
Vou exercitar o texto e depois digo alguma coisa, se houver.
Agradeço suas mensagens!

Um grande abraço

Mirze

Rose Huppes disse...

olá irmãos!

Sempre me perguntei, qual o motivo de tanta falta de amor entre meu pai e meus avos.Sempre com uma distância tão grande entre eles.Hoje tento entender, mais não é tão fácil admitir a falta de carinho e compaixão.Tento não fazer o mesmo e amar meus filhos o mais correto que posso.

Sanidade a todos.