quarta-feira, março 04, 2009

Começando Novamente

No texto sugerido desta semana (clique aqui) Thay nos fala sobre a importância da prática do Começar de Novo. Ele diz que deveríamos saber nascer, saber começar novamente, como um novo ser a cada momento de nossas vidas. Nós não devemos ficar presos na prisão da culpa apenas porque cometemos enganos em nossas vidas. Sem cometer enganos não há nenhum modo de aprendermos formas de ser uma pessoa melhor. Eis porque os erros têm um papel em nosso treinamento, em nossa aprendizagem.

Thay também diz que nossa boa vontade não é suficiente para a prática. Temos que ser hábeis em nossa prática. Caminhando, comendo, respirando, falando, trabalhando, deveríamos aprender a arte de viver atentos, porque se formos bons artistas, poderemos criar muita felicidade e alegria ao nosso redor e dentro de nós; mas se possuirmos apenas boa vontade, não será suficiente porque com boa vontade podemos causar muito sofrimento.

Reflita sobre o texto, e comente em nosso blog.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

2 comentários:

Lucy Cohen disse...

Lindo texto. Parece tão simples, mas que difícil praticar essa arte nos momentos de crise quando as vezes temos vontade de sair correndo. Por isso, acho the o Ven. mestre chama a prática de arte. A arte precisa ser cultivada pelo exercício regular de desenhar, de tocar um instrumento, de mover o corpo graciosamente. Depois de muito treino é possivel para o artista produzir sua obra prima, atuar de forma brilhante mesmo quando sofrendo uma terrível perda. A arte, assim, não é algo simplesmente expontãneo, isenta de esforço ... é algo possível para todos, mas é preciso treinar, treinar para se chegar aquela serenidade, leveza que a um ponto extrapola o seu dono e nos inspira a seguir os mesmos passos. Mas, você teria alguma dica para fortalecer nossa determinação de persistir na prática? Na teoria tão simples e no dia-a-dia competindo com uma torrente de distrações?

Leo disse...

A dica já está no seu texto. É praticar. Praticar o quê? As práticas sugeridas pelo Buda. São várias formas de treinar essa arte. No cardápio temos o Nobre Caminho Óctuplo, os Cinco Treinamentos de Plena Atenção, Meditação Caminhando, meditação sentada e tantas outras formas, que intersão.

Creio que a meditação diária é a base de forma que o corpo e mente acalmem e os ensinamentos possam ser mais facilmente entendidos e praticados.

Os momentos onde minha prática deu "saltos" foi nos retiros. O retiro que fiz em Plum Village foi marcante, mas mesmo os de pequena duração me transformaram e me fizeram um artista um pouco melhor.

Tenho muito ainda a praticar, sem dúvida, mas sinto que depois de alguns anos de prática não sou mais o mesmo.