segunda-feira, junho 16, 2008

Gato Ritual (conto zen)

Quando um mestre espiritual e seus discípulos começavam sua meditação do anoitecer, o gato que vivia no Monastério fazia tanto barulho que os distraía. Então o professor ordenou que o gato fosse amordaçado durante a prática noturna. Anos depois, quando o mestre morreu, o gato continuou a ser amarrado durante a meditação. E quando o gato eventualmente morreu, outro gato foi trazido para o Monastério e amarrado.

Séculos depois, quando todos os fatos do evento estavam perdidos no passado, praticantes intelectuais que estudavam os ensinamentos daquele mestre espiritual escreveram longos tratados escolásticos sobre a significância de se amordaçar um gato durante a prática da meditação...

2 comentários:

Ribamar Lopes - http://umditoeumponto.blogspot.com/ disse...

Este texto aparentemente simples nos permite profunda reflexão. Ajuda-nos, de uma forma leve, a obtermos uma posição crítica com relação as tradições que nos são passadas à obdiência, e aceitas sem um posicionamento crítico, que, inclusive, não é bem vindo em várias religiões. Aliás, este é o direcionamento traçado pelo próprio Buda, no KALAMA SUTRA, que nos exorta a manter sempre uma Menta Atenta inclusive nos ensinamentos, como agora transcrevo :"Tenhais confiança não no mestre, mas no ensinamento.
Tenhais confiança não no ensinamento, mas no espírito das palavras.
Tenhais confiança não na teoria, mas na experiência.
Não creiais em algo simplesmente porque vós ouvistes.
Não creiais nas tradições simplesmente porque elas têm sido mantidas de geração para geração.
Não creiais em algo simplesmente porque foi falado e comentado por muitos.
Não creiais em algo simplesmente porque está escrito em livros sagrados; não creiais no que imaginais, pensando que um Deus vos inspirou.
Não creiais em algo meramente baseado na autoridade de seus mestres e anciãos.
Mas após contemplação e reflexão, quando vós percebeis que algo é conforme ao que é razoável e leva ao que é bom e benéfico tanto para vós quanto para os outros, então o aceiteis e façais disto a base de sua vida."

ricardo disse...

Concordo. O texto é simples mas leva a uma reflexão profunda sobre os rituais, sobre o "sagrado".