quarta-feira, julho 01, 2009

Sala de Meditação

Gostaria de compartilhar com você um insight do Marcelo, um companheiro nosso da Sangha Virtual. Ele passou recentemente alguns meses em Plum Village em uma experiência de uma riqueza espiritual extraordinária.

"Não é um insight por si mesmo, com alguma sabedoria nele, é apenas um insight para mim. Eu estava em minha última meditação sentada na sala de meditação de Upper Hamlet, Plum Village; eu estaria indo embora em alguns dias. Me sentia meio emotivo, sabendo que era minha última vez ali, sem saber se algum dia voltaria. A Sangha ao meu redor, as muitas sessões que eu tinha comparecido ali. Eu me curvei em direção ao altar antes de passar pela porta de saída e deixando a sala eu estava segurando as lágrimas. E então aconteceu.

Era mais um sentimento forte que um pensamento, e é por isso que o chamo de insight. Quando eu deixei a sala de meditação e pisei nos degraus de pedra e olhei sobre o jardim em direção ao pagode, eu tive a impressão que estava reentrando na Sala de Meditação. O planeta todo, começando sobre meus pés, era a Sala de Meditação. Não haveria mais nenhuma possibilidade de deixar a Sala de Meditação, nunca, enquanto eu viver. A Sala de Meditação não estava apenas dentro da sala, na verdade estava fora, estava em todo lugar, como se a Sala de Meditação se espalhasse, como se tivesse tomado todo o planeta.

Era uma manhã escura, o alvorecer ainda não havia chegado, a lua era refletia nas poças de água ao longo do caminho, e enquanto eu andava ao redor de Upper Hamlet, eu olhei para as pedras e vi almofadas, olhei para os trocos caídos e vi altares. Eu senti que tudo era sagrado e nada era realmente sagrado, não era separado do mundano. Era apenas meu olhar formando o mundo, discriminando, mas no mundo sendo uma Sala de Meditação, tudo era aceitável, tudo estava incluído, tudo estava iluminado, tudo era uma iluminação."

Um comentário:

Roberto disse...

Inspirador...
Me senti em Plum Village e por alguns instantes senti uma conexão enorme com tudo que me cerca. Obrigado