quarta-feira, janeiro 16, 2008

Os Meios são os Fins

Sugerimos essa semana a leitura do texto (clique aqui) onde Thich Nhat Hanh explica que na prática do Budismo não há nenhuma distinção entre meios e fins, e que os meios deveriam ser considerados como os fins por si mesmos. Ele mostra que o caminho para se atingir um objetivo não tem distinção nenhuma do objetivo em si. Não damos atenção aos meios porque somos governados por nossa energia de hábito, pela tendência de correr todo o tempo. Não somos capazes de estar no aqui e no agora para tocar as maravilhas da vida que estão disponíveis.

Também fala sobre regras e rituais. Ele explica que nos ensinamentos do Buda, não somos encorajados a estar presos a regras. Deveríamos olhar para os treinamentos como uma prática e não como regras. Porque devem ser considerados como sendo a prática da consciência plena e se praticarmos adequadamente preservarão nossa liberdade, beleza, felicidade. Eis porque o Buda disse: não seja escravo de regras e rituais. Rituais e regras, nós não precisamos deles; precisamos apenas da prática.

Se você quiser ler a newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

2 comentários:

sandra caldas disse...

Prezado Leo
Agradeço a inclusão do link do vídeo no blog, foi um lindo presente do bom amigo, Jorge Aloice.
Felicidades.
Sandra Caldas

Rui disse...

"La alegría está en la lucha, en el esfuerzo, en el sufrimiento que supone la lucha y no en la victoria."
— Mahatma Gandhi
em: http://www.frasedehoy.com/call.php?file=frases_mostrar&frase_id=3587
Parece-me haver aqui uma contradição. Que comentam?