quinta-feira, julho 07, 2011

Abraçando a Raiva

O Buda nunca nos aconselhou a reprimir a raiva. Nossa raiva faz parte de nós. Quando estamos zangados, temos que nos voltar para nós mesmos e cuidar bem da nossa raiva. Não podemos dizer: "Vá embora raiva, você tem que ir. Não quero você." Precisamos reconhecê-la, abraçá-la e sorrir.

Thich Nhat Hanh no texto de hoje (clique aqui) ensina as três frases do verdadeiro amor:"Meu amor, estou com raiva, estou sofrendo", "Estou fazendo o melhor que eu posso", "Por favor, me ajude".

Usar as três frases do amor verdadeiro e fazer um exame profundo para aceitar nossa responsabilidade no conflito é uma maneira bastante concreta de expressar respeito, alimentar o amor. Não subestimem as três frases do verdadeiro amor. Talvez vocês queiram escrever as três frases num pedaço de papel e colocá-lo na carteira. Venerem esse pedaço de papel como algo que pode salvar vocês, porque ele os fará lembrar do compromisso que assumiram um com o outro.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

2 comentários:

Anônimo disse...

Maravilhoso o ensinamento!!! Muito útil e prático!

BrunoChapo disse...

MUito bom!
=D