quarta-feira, agosto 18, 2010

Como criar o hábito da felicidade

Os bons praticantes adquirem a habilidade de produzir felicidade para suas vidas. Parece inacreditável, mas é isso que percebemos nos grandes mestres e praticantes diligentes. Como eles conseguem isso?

No texto desta semana (clique aqui) Thich Nhat Hanh explora um dos métodos ensinados pela tradição budista. São as Três Concentrações: a vacuidade, a insubstancialidade dos sinais e a ausência de objetivos. Nenhuma dessas concentrações são filosofias ou noções que devamos nos aprisionar. São instrumentos para produzir insight, a visão, que tem o poder de nos motivar, transformar, uma importante descoberta que tem o poder de nos trazer felicidade.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente

3 comentários:

denise disse...

Maravilhoso este texto! Bela oportunidade para revermos os 3 tipos de concentração e cultivarmos a felicidade, a ausência de objetivo. Obrigada pela bela tradução e pela divulgação do ensinamento!
Sorrisos e flores de lótus,
Denise Kato - SP

Leo disse...

O mais difícil me parece a ausência de objetivos. Somos treinados para chegar rápido nos alvos e a não desperdiçar tempo. Instintivamente achamos que algo sem objetivo não serve para nada.

Treinar essa ausência de objetivos, o pouco que avancei, me descortinou insights muito poderosos, de como o caminho se revela a cada passo e às vezes mostrando que o "objetivo" inicial não era o melhor. Permitindo uma flexibilidade de mudar ao longo da jornada. Produz também uma paz maior, pelo alívio da tensão de estar sempre atrás de algo externo.

Gampo Dzong disse...

Por essa abordagem do "cheio de tudo" para conseguir vislumbrar o vazio de um "eu" consegui pela primeira vez ter maior percepção do sentido da enigmática frase do sutra do coração!

Gostaria de expressar minha Gratidão por isso

Gasshô