quinta-feira, outubro 16, 2008

Os Tipos de Amor

Nesse texto (clique aqui) o Buda, no romance do Thay, nos fala sobre os diversos tipos de amor. Há o amor que permanece misturado com apego e discriminação. As pessoas querem apenas amar seus pais, esposos, filhos, netos, seus parentes etc. Apego e discriminação são fontes de sofrimento para nós mesmos e para os outros.

Mas o Buda nos fala que o amor pelo qual todos os seres estão verdadeiramente famintos é a bondade amorosa e a compaixão. Bondade amorosa é o amor que tem a capacidade de levar felicidade para outro. Compaixão é o amor que tem a capacidade de remover o sofrimento do outro. Eles não causam sofrimento ou desespero.

Nesse texto esses diferentes tipos de amor são explicados através de um diálogo esclarecedor entre o rei Pasenadi e o Buda.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

2 comentários:

Mirse disse...

Gostei muito deste artigo postado. Há muito tempo amo desta forma, não por conhecimento ou merecimento, apenas por ter sofrido com o amor-apego, resolvi não me apegar. Amar, sim. Sofrer não faz sentido se o caso é amor.
Parabéns e obrigada, pois na postagem encontrei maiores esclarecimentos.

Mirze

flor de lótus disse...

Mais um ótimo ensinamento do Buda no caminho do Dharma. Há algum tempo cheguei a conclusão que o amor homem-mulher na sociedade atual pode ser qualquer coisa menos amor - o texto do Buda esclarece: se não há entendimento entre as pessoas não há amor. A maneira como formam-se casais na maioria dos casos é baseado em atração física, o que por si só, mostra a motivação errada para o início do relacionamento, e faz com que a probabilidade de insucesso seja alta. Quanto ao desapego pelos familiares: irmãos, filhos, mãe, etc, com a iluminação acredito que é possível. Tenho um filho de 7 anos e certa vez em meditação tive um insight: " que antes dele ser meu filho, ele é um ser como eu, no universo" e no momento deste insight, senti-me calma e sem preocupações quanto a sua segurança. Para mim foi uma pequena amostra do que pode se sentir com a iluminação.