quarta-feira, agosto 27, 2008

Reflexão sobre o 5o. Treinamento de Plena Atenção

Este é o Quinto Treinamento de Plena Atenção: Consciente do sofrimento causado pelo consumo irrefletido, comprometo-me cultivar boa saúde, tanto física como mental para mim, minha família e para a sociedade praticando o ato de comer, beber e consumir de modo consciente. Farei ingestão de produtos que preservem a paz, o bem-estar e a alegria em meu corpo, em minha consciência, no corpo da coletividade, na consciência de minha família e da sociedade. Estou determinado a não ingerir álcool ou outro tóxico, alimentos ou produtos que contenham toxinas tais como alguns programas de TV, revistas, livros, filmes e conversas. Estou consciente de que prejudicando meu corpo e minha consciência com estes venenos estou traindo meus antepassados, meus pais, a sociedade e as futuras gerações. Trabalharei para transformar a violência, o medo, a angústia e a confusão em mim e na sociedade adotando hábitos de consumo salutares para mim e para sociedade. Compreendo que uma conduta adequada é importante tanto para a autotransformação como para a transformação da sociedade.

Depoimento: Eu sofri muito devido ao que ingeri no passado. Enquanto crescia, minha família era muito infeliz e não éramos capazes de ficarmos próximos e nos apoiar. Como resultado, todos nós desenvolvemos vícios pela comida e pela TV, entre outros hábitos não saudáveis. Juntando-me à Sangha e ouvindo este treinamento, soube que tinha que mudar o modo fundamental como eu estava me relacionando comigo mesmo. Eu não mais quis negligenciar meu corpo e ser aterrorizado pelos meus pensamentos e sentimentos perturbadores. Eu tomava refúgio na comida, no esnobismo intelectual, na expressão criativa não saudável e numa atitude julgadora. Naquele momento eu queria deixar estes refúgios. Mas como eu poderia fazer tal mudança radical?

Este treinamento me faz ficar em contato com muitos elementos de que eu sou feito. Cultivando consciência, eu posso escolher que elementos permitir entrar em mim para se tornarem o futuro eu. Eu aceito que sou vulnerável, afetado por tudo no meu ambiente e também que sou poderoso, apto a direcionar meu futuro por saber quais ambientes me permitirão crescer saudável e quais não permitirão. Quando eu identifico o sofrimento, posso examinar o que tenho consumido – o que como, o que presto atenção, o que penso, o que digo ou participo. Fazendo isso tenho a confiança que dei um bom passo em direção ao bem-estar.

Agora quando como, eu penso: "Quero comer esta comida porque meu corpo deseja o nutriente ou porque me sinto agitado e quero ignorara agitação?" Se meu corpo deseja ser nutrido pela comida, ao comer estou sendo compassivo e amoroso comigo mesmo. Se estou me sentindo agitado, preciso me dar compaixão, tomar conta de mim mesmo retornando à minha respiração e acalmando a agitação.

Quando eu compro coisas, trazendo consciência eu posso perguntar: "Estas coisas me trarão alegria depois?" Eu convido minhas motivações a se revelarem e também minhas necessidades. E então eu me pergunto, o que me traz alegria e paz? Desta maneira posso conhecer meu verdadeiro eu e prestar atenção a todas as coisas maravilhosas ao meu redor que me trazem alegria, solidez e clareza. Eu preciso ser compassivo e usar essas oportunidades para me nutrir agora de forma que possa ser forte no futuro.

Este treinamento me leva ao refúgio da sangha, para o ambiente saudável que ela provê. Na sangha eu consumo estabilidade, sanidade e amor. Eu participo alegremente da corrente da vida nos meus pares ao permitir que meu coração se abra. Estando presente eu os nutro e sou nutrido por eles, e minha vida tem sentido. A partir deste treinamento eu reconheço que minha prática é alimento para mim mesmo e para todos que conheço. Eu pratico este treinamento por minha família de forma a amá-los melhor, por meus ancestrais cujos ambientes os preencheram com degradação e desejo e, portanto eles perderam a oportunidade de desenvolver a capacidade de amar e serem amados.

- Scott Morris (Realizing Vision of the Heart) - Toronto, Canadá

(Publicado na revista Mindfulness bell n. 48 - Traduzido por Leonardo Dobbin)

Um comentário:

centrozenfloripa disse...

Parabéns pelo oportuno post. Vivemos em um tempo em que a consciência está (quase) sempre de fora na hora de consumir.

"Que todos os seres sencientes possam se beneficiar"!

_/\_...
Michel.