quinta-feira, setembro 30, 2010

A Prática de Descansar

O mundo hoje, depois da globalização e da revolução da informática quase nos impõe que funcionemos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Estamos sempre conectados, sempre fazendo alguma coisa, sempre buscando fazer ou obter algo. Um ritmo incessante que só rega nossa ansiedade e não nos permite respirar, parar.

Thich Nhat Hanh esta semana (clique aqui) nos ensina a prática de descansar. Segundo ele é muito importante permitir que nosso corpo e nossas mentes descansem. Nosso corpo pode carregar muitas dores internas, e nossa consciência também pode possuir muitas feridas internas. Eles precisam de cura. A condição básica para toda a cura é poder descansar, mas nós não temos a capacidade de descansar. Temos o hábito de correr, de fazer coisas. Enquanto você correr - correndo a procurar por algo ou correndo para escapar de algo - não tem nenhuma paz.

Leia o texto (clique aqui) e aprenda que a meditação é feita de parar, acalmar-se e olhar profundamente. Pare, descanse e depois divida seu insight em nosso blog.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

4 comentários:

heide disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
heide disse...

Queridos irmãos,

Amoroso e sábio o texto do mestre Thay. Eu mesma, durante muito tempo, atropelei minha mente com sucessivas tarefas, as quais achava méritoso faze-las de forma simultânea.
Minha mente vivia sobrecarregada e meu corpo padecia pela fila interminavel de coisas por fazer.
Adoecí e quase enloquecí. Hoje graças as práticas da respiração, atenção plena e meditação diária tenho encontrado descanso e paz.
que todos possam desfrutar desta oportunidade.
Shanti om namah.
com amor
Heide

Anônimo disse...

Descobri esse blog a algum tempo, e embora já estivesse familiarizado com diversas práticas do budismo, os textos que aqui encontrei me permitiram um aprofundamento muito maior naquilo que julgava conhecer bem. Ainga hoje estou imerso em trabalhos e estudos, sendo muitos dos quais impostos à mim por mim mesmo. Pretendo praticar e me reeducar sempre, alcançando assim a cura.

Felicidades
Lucas

Leo disse...

Parar é difícil mesmo. Nem percebemos o quanto corremo o que torna a prática mais difícil. Acho que o primeiro passo é reconhecer o quanto corremos fisicamente e mentalmente. Corro ao andar, corro ao comer, corro ao falar e corro nos meus pensamentos sempre pensando no próximo momento.

Quando conseguir reconhecer isso no momento em que se manifestar será um primeiro passo importantíssimo para conseguir parar.

Leo