quarta-feira, setembro 16, 2009

Praticando na Sangha

Depois dessas duas semanas de convívio com os monges de Plum Village no Rio e São Paulo, sugerimos ler um texto sobre a prática na Sangha (clique aqui).

Segundo Thich Nhat Hanh a Sangha é feita do trabalho dos indivíduos, portanto temos o dever de ajudar a criar a energia da Sangha. Nossa presença, quando é uma plena de atenção, contribui para essa energia. Quando estamos ausentes durante as atividades da Sangha, não estamos contribuindo para a sua energia.

Você não precisa de uma Sangha perfeita. Uma família ou uma comunidade não tem que ser perfeita de forma que possa ajudar. Thay diz ainda que há algumas pessoas que pensam em deixar a Sangha quando encontram dificuldades com outros membros da Sangha. Eles não podem suportar pequenas injustiças infligidas a elas porque seus corações são pequenos. Para ajudar a seu coração crescer e crescer, entendimento e amor são necessários.

Se você quiser ler a nossa newsletter semanal clique aqui ou nos mande um e-mail (clique aqui) para passar a recebê-la diretamente.

7 comentários:

Victor Miranda disse...

Amigos da Sangha,

lembrei-me de um texto do Thay, do livro que estou lendo, que diz: "quando alguém nos faz sofrer, é porque essa pessoa sofre profundamente dentro de si mesma, e seu sofrimento está se esparramando do lado de fora. Esta pessoa não precisa de mais sofrimento, precisa de ajuda". Podemos ajudar cultivando esta compreensão dentro de nós e ajudando a regar as sementes positivas da outra pessoa.

Não pratico em uma sangha, pois moro no interior do Rio. Já fui uma vez à sangha Caminho do Interser, onde me receberam com muito carinho, e espero retornar outras vezes. Sinto falta desta convivência e do aprendizado que certamente decorreria dela. Mas acredito que tudo tem um tempo e chegará o momento em que poderei conviver continuamente com uma sangha.

Abraços,

Meu olhar sobre ... disse...

Lindo texto, tenho lido muito sobre o Thich Nhat Hanh, assistido alguns videos, estou encantada. Procurei aqui em Belo Horizonte um lugar onde poderia aprender mais , infelizmente não achei. Vcs poderiam me ajudar indicando um lugar aqui em Bh onde poderia iniciar os ensinamentos dele? Muito obrigada, Ana Cristina

Roberto disse...

O sofrimento é o que nos une? O que realmente quer dizer sofrimento para o Budismo? São perguntas que o texto Praticando na Sangha me levou a fazer.

Tâm An Dao (Verdadeira Paz do Coração) disse...

Não há Sanghas ainda em Belo Horizonte, infelizmente. Quem sabe algum leitor do blog não se anima e começa um grupo?

Leo disse...

O sofrimento no budismo pode ser também entendido como mal-estar. É o medo que sentimos ao sair de casa, a ansiedade de correr o tempo todo, a raiva que nos tira do sério, a tristeza pelas perdas, a insegurança com relação ao futuro. Todos sentimos isso e isso nos une. Quando podemos dividir isso com pessoas que também sofrem mas que buscam superar, ou se tornar mais fortes diante desses sofrimentos passamos a conseguir também. Esse grupo é a Sangha.

Leo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Maravilhoso o texto, ao final da leitura fui tomada por uma imensa alegria que de fato está dentro de nós, é só procurar! Temos muito mais motivos para agradecer.
Metta, Vera